Cada vez mais as escolas modernas estão se tornando multiculturais com alunos de diferentes níveis sociais e econômicos vivendo e estudando juntos.

Dessa forma, professores e educadores devem lidar com alunos com diferentes motivações de aprendizagem, trabalhando, assim, a fonte de aprendizagem social e emocional.

A Aprendizagem Social e Emocional (SEL) estabelece a base para a aprendizagem mais ativa e segura, além de incentiva os alunos a terem sucesso na escola, na carreira e na vida.

O que devemos saber sobre o aprendizado social e emocional?

Os estudiosos desse assunto o definem como o processo de identificar e administrar pessoalmente as emoções, estabelecendo relacionamentos saudáveis ​​e agindo de maneira ética e responsável, evitando atitudes negativas.

Sabemos que são responsabilidades e obrigações dos pais orientarem os filhos nesse caminho, mas a escola também tem papel fundamental nesse processo, pois habilidades sociais e emocionais podem ser ensinadas e usadas em várias situações, e as escolas são ambientes propícios para colocá-las em prática.

Na educação infantil, os jogos e as brincadeiras são as atividades básicas para o desenvolvimento dessa habilidade.

No ensino fundamental ou médio, por exemplo, em vez da sala de aula, como nas disciplinas de matemática ou física, levar os alunos a um laboratório ou oficina e desafiá-los a resolver problemas são maneiras de sugerir a prática e também experiência em trabalho colaborativo.

As decisões devem ser tomadas de forma comum, o que é uma excelente forma de os alunos exercitarem seu senso de comunidade.

Incentivar uma criança a ajudar outra criança produzirá resultados poderosos para fortalecer comportamentos como gentileza e empatia.

Por que o aprendizado social e emocional é importante?

Pesquisas mostram que o SEL pode não apenas melhorar o desempenho acadêmico dos alunos, mas também permitir que eles tenham melhores comportamentos sociais (como gentileza, compartilhamento e compaixão), ver as escolhas de uma maneira diferente e reduzir a frustração e o estresse dos alunos.

A aprendizagem social efetiva e a aprendizagem emocional envolvem não apenas a sala de aula, mas também toda a escola, família e comunidade e isso ajuda os alunos a desenvolverem habilidades essenciais, por exemplo:

Autoconhecimento

A autoconsciência inclui a compreensão das próprias emoções, objetivos e valores pessoais. Também inclui o uso de pensamento positivo e conhecimento de habilidades para usar com mais precisão os próprios pontos fortes e limitações.

Em um nível mais alto de autoconsciência, uma pessoa pode reconhecer como os pensamentos, sentimentos e ações estão relacionados uns com os outros.

Auto Gerenciamento

A autogestão requer habilidades para ajudar a regular as emoções e o comportamento das pessoas. Isso inclui a capacidade de adiar a gratificação, controlar o estresse e os impulsos e persistir no desafio de alcançar objetivos pessoais e educacionais.

Consciência Social

A consciência social envolve a capacidade de compreender, simpatizar e ter empatia por pessoas com origens e culturas diferentes.

Também envolve a compreensão das normas sociais de comportamento e o reconhecimento dos recursos e apoio das famílias, escolas e comunidades.

Habilidades Interpessoais

Essas habilidades podem ajudar os alunos a construir e manter relacionamentos saudáveis ​​e benéficos e a agir de acordo com as normas sociais.

Também incluem se comunicar com clareza, ouvir com atenção, cooperar, resistir a pressões sociais inadequadas, negociar conflitos de maneira construtiva e buscar ajuda quando necessário.

Tomada de Decisão

Tomar decisões com responsabilidade envolve aprender como fazer escolhas mais construtivas relacionadas ao comportamento pessoal e à interação social de maneiras diferentes.

Requer a capacidade de considerar padrões éticos, questões de segurança, comportamentos perigosos, a saúde e o bem-estar de si mesmo e de outros e fazer avaliações realistas das consequências de vários tipos de ações.

Além disso, a aprendizagem social e emocional ajuda na melhoria do desempenho acadêmico, bem como melhorias significativas nas notas de testes e desempenho escolar. Isso mostra que não pode haver bom desempenho acadêmico sem maturidade social e emocional.

Portanto, para que nossos jovens tenham bom desempenho acadêmico e se preparem para os desafios da vida e do mercado de trabalho, devemos ver a interconexão entre as diferentes partes do ser humano: necessidades emocionais, sociais e físicas.

Dessa forma, as escolas são um dos primeiros lugares onde os alunos aprendem habilidades sociais e emocionais.

Gostou do artigo de hoje? Complemente sua leitura, clicando aqui!

Escreva um comentário