Engana-se quem pensa que não possam haver razões para que as crianças se deprimam, pelo contrário, a depressão infantil é um problema que tem aumentado em todo o mundo.

De acordo com as estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), a incidência desse distúrbio na população entre 0 a 17 anos gira em torno de 1 a 3%. No entanto, o que ainda se ouve muito de boa parte das pessoas é que os únicos motivos para esse mal são aqueles associados aos dilemas da vida adulta, o que é um grande erro. 

Essa declaração nada mais é do que uma prova da falta de conhecimento sobre o assunto. Nesse sentido, o primeiro ponto a salientar é que depressão e tristeza são coisas distintas, porém, às vezes relacionadas.

De qualquer maneira, preparamos este artigo para mostrar como identificar a depressão infantil. Você verá quais são os seus prováveis sintomas e suas possíveis causas. Não perca! 

Tristeza persistente 

É na persistência da tristeza que está a relação desse sentimento com a depressão infantil. Embora espontaneamente alegres, é natural que as crianças fiquem tristes quando algo não ocorre como elas gostariam. 

No entanto, se você perceber uma tristeza constante e sem motivos aparentes, fique em alerta. Entenda que “estar triste por estar triste” por muito tempo não é normal, mas sim um plausível sintoma da depressão infantil. 

Irritabilidade 

Outro sinal que não pode passar em branco é a irritabilidade. Ficar bravos de vez em quando é natural da criança, contudo, da mesma maneira como acontece com a tristeza, esse estado emocional não pode ser persistente. 

Por isso, preste atenção no humor do seu filho e no interesse que ele tem na realização das suas atividades. Se notar irritações frequentes, agressividades e uma perda de entusiasmo geral, procure uma orientação médica.  

Isso é importante porque, de acordo com a Associação Americana de Psicologia (APA), o diagnóstico inicial requer a soma dos fatores irritabilidade, humor depressivo, perda de interesse ou incapacidade de sentir prazer com as atividades do dia a dia.    

Excesso de retratação

O excesso de retração também pode ser um sintoma da depressão infantil. A criança deprimida tende a ficar calada e insegura diante de praticamente tudo, perdendo o desejo de exploração que é tão comum na juventude. 

Baixa autoestima 

Não menos relevante está a baixa autoestima. Sentimentos de inutilidade, ideias de culpa e excessiva desvalorização de si mesma são sintomas a considerar no contexto da depressão infantil.

Analise o comportamento do seu filho observando se ele:

  • costuma se sentir culpado por algo que não fez;
  • tem o hábito de se menosprezar;
  • acha que não merece ser valorizado. 

Enfim, é preciso manter os olhos bem abertos. No que se refere às causas, uma série de diferentes circunstâncias pode ser considerada. Perdas familiares, a separação dos pais, brigas domésticas, dificuldades de adaptação na escola e bullying servem como exemplos.

Isso enfatiza a importância de estar sempre aberto às conversas, procurando entender quais são as dores da criança. E lembre-se: busque orientação médica assim que perceber uma manifestação “anormal” no seu filho.

O que achou deste conteúdo sobre a depressão infantil? Gostou? Então, compartilhe este artigo em suas redes sociais e ajude a outras pessoas a aprender como identificar esse problema! 

Autor

Tudo que você precisa saber sobre educação de qualidade para construir um futuro melhor.

Escreva um comentário