Contar histórias para crianças estimula a curiosidade, estimula a imaginação, desenvolve autonomia e habilidades de pensamento, proporciona várias experiências emocionais como medo e dor, ajuda a criança a resolver seus conflitos emocionais e reduz a carga emocional.

Além disso, a contação de histórias socializa e diverte as crianças. É uma ferramenta que desperta o interesse pela leitura, auxilia no desenvolvimento psicológico e moral, ajuda a manter a saúde mental das crianças em fase de desenvolvimento, amplia o vocabulário e o mundo conceitual, desenvolve a linguagem e o pensamento, a atenção, a memória e a capacidade para o trabalho.

Agora, entenda de que formar a contação de histórias ajuda no desenvolvimento das crianças. 

Entenda como a contação de histórias auxilia no aprendizado.

Além de passar um momento agradável e interativo entre o locutor e o ouvinte (geralmente pais e filhos), contar histórias para crianças envolve também fábulas, contos e lendas baseadas em mitos sociais.

Propagação da cultura

Contar histórias é uma prática milenar na sociedade. A oralidade é um mecanismo que há muito vem sendo utilizado para comunicar cultura, expressar sentimentos, conhecimentos e experiências, além de manter tradições e costumes.

Um fator que interfere nessa situação é a forma como são notificados, o que altera o impacto sobre quem os escuta. Portanto, preste atenção ao tom de voz e ao vocabulário utilizado para que as crianças não tenham dificuldade em entender a história.

Identificação com as situações

As crianças podem associar as histórias que leem ou ouvem à sua situação, o que ajuda a desenvolver formas de lidar com as dificuldades, sentimentos e emoções.

Além disso, é um estímulo à memória, por exemplo, porque relembram experiências que viveram ou ouviram de parentes.

Portanto, por meio dessa abordagem, as crianças encontrarão uma maneira de estabelecer uma conexão entre memória e emoção ao ler.

Incentiva a leitura

Independentemente da idade, a leitura enriquece o conhecimento, mas principalmente na fase da educação infantil, ou seja, uma fase de muita aprendizagem, desenvolvimento de habilidades, expansão do vocabulário e estimulação da imaginação.

Depois de contar história, a mente começa a imaginar sua trama, assim como a leitura. Portanto, essa abordagem deve ser adotada desde a mais tenra idade, para que as crianças aprendam a se interessar pela leitura, estimulando e desenvolvendo a curiosidade.

Momento de expressão

Ao ouvir histórias, as crianças podem se expressar, falar sobre seus sentimentos e ter diferentes reações, que podem representar sua visão de mundo. Além disso, é hora de compartilhar experiências e opiniões.

Os contadores de histórias (geralmente professores) podem incentivar os alunos a participarem por meio da prática da leitura.

Para permitir mais liberdade de participação e promover a interpretação dos alunos, por exemplo, use recursos da cena, como visuais e sons atraentes.

Além disso, o tema da história pode abrir espaço para a discussão de outras questões da vida escolar, como o bullying. Interações com temas relacionados à convivência com humanos também podem ser momentos de conscientização.

Assimilar linguagens

Desde muito cedo, a contação de histórias pode ser exposta a vários tipos de linguagens, o que torna as crianças cientes das várias formas de contar e compreender histórias.

A experiência pessoal não só estimula a imaginação, mas também ajuda a pensar e valorizar a situação que está sendo contada, pois também leva em consideração a aparência e o cenário do personagem.

Inclusão

É importante lembrar as diferenças entre as crianças, portanto, os alunos devem se envolver com elas de diferentes formas de percepção e narrativa.

Os educadores podem contá-los e os alunos podem ouvi-los com os olhos fechados. Em seguida, peça-lhes que descrevam seus sentimentos.

Por exemplo, você também pode realizar atividades em outros idiomas com a ajuda da tradução, como inglês, espanhol e libras.

Escreva um comentário