Escolher a escola ideal para os filhos envolve a análise de diversas questões. Entre elas, uma das mais relevantes está relacionada às metodologias de ensino. Isso porque, por ser uma das bases primordiais na vida de uma criança, é de fundamental importância que os pais estejam conscientes em relação ao método aplicado.

Antes de mais nada, é interessante que você saiba que diferentes linhas pedagógicas podem ser encontradas no Brasil. O modelo tradicional já não é mais o único e o que se tem nos dias de hoje são propostas mais modernas e que aumentam as possibilidades de enriquecimento no aprendizado.

Cabe salientar ainda que cada instituição pode criar o seu próprio método com base na soma de diferentes abordagens. Tudo vai depender dos seus valores e dos seus propósitos no que se refere à formação do cidadão.

De qualquer maneira, preparamos este conteúdo especial a fim de apresentar 5 metodologias de ensino para você considerar antes de escolher uma escola. Confira!

1. Tradicional

Começaremos pela mais aplicada nas escolas brasileiras: a metodologia tradicional. Em linhas gerais, nela o ensino é centralizado nos professores, sendo estes transmissores de conhecimento. Por ter a sua ênfase no conteúdo, esse método também é conhecido pelo nome conteudista.

Os alunos têm metas a cumprir (notas) dentro de prazos determinados, que são analisadas mediante avaliações (provas) periódicas. Os estudantes que não atingirem a nota mínima necessária (média) ao longo do ano em que estão cursando serão reprovados, resultando na repetição do ano.

Livros, cartilhas e/ou apostilas estabelecem os conteúdos que o jovem deve aprender a cada fase. Esse modelo foi criado pelas escolas públicas da França no século XVIII e tinha por objetivo universalizar o acesso aos conhecimentos tidos como essenciais para a formação da pessoa.

Nos dias de hoje, as instituições que o adotam direcionam o aluno para o sucesso em provas como o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e o vestibular.

2. Construtivista

Baseada na proposta de Jean Piaget, um dos mais importantes pesquisadores de educação e pedagogia do século XX, a metodologia construtivista segue o princípio de que o conhecimento deve ser construído ativamente pelo estudante, contrariando a metodologia tradicional em que ele é recebido passivamente do professor ou do ambiente.

O trabalho em grupo é valorizado, sendo que cada aluno é visto como alguém com um tempo único de aprendizado. Nas escolas construtivas, crianças e adolescentes são estimulados a pensar e resolver problemas propostos.

Provas e reprovações também fazem parte do construtivismo, que tem como meta principal desenvolver indivíduos que sejam capazes de realizar coisas novas e não apenas meramente repetir o que as gerações anteriores fizeram. Descobridores, inventores e criadores, esse é o caminho apontado por essa metodologia de ensino.

Outro objetivo significativo é a formação de pessoas que tenham a capacidade de criticar, não aceitando qualquer informação ou situação a elas impostas: a teoria de Jean Piaget diz que o educador não deve somente ensinar, mas também orientar os estudantes para um aprendizado autônomo.

3. Freiriana

Humildade, respeito, tolerância, bom senso e curiosidade são alguns dos princípios defendidos pela metodologia freiriana. Instituído com base nos conceitos de Paulo Freire, filósofo e educador brasileiro considerado um dos maiores pensadores da pedagogia mundial, esse modelo de ensino defende a ideia de que a educação se torna uma ferramenta para libertar o aluno.

Para isso, os aspectos sociais, culturais e humanos de cada estudante devem ser levados em consideração. Esse posicionamento implica ouvi-los para ajudá-los a construir confiança, de modo a fazê-los compreender o mundo por meio do conhecimento.

4. Waldorf

Entre as metodologias de ensino já citadas até o momento, a Waldorf é a mais “diferentona”. Para começar, fique sabendo que nesse método não existem séries, pois os alunos são divididos de acordo com sua faixa etária.

A turma é a mesma durante todo o ensino fundamental, assim como o professor. Vale deixar claro que não há reprovações. Os estudantes aprendem coisas que contribuem para o desenvolvimento de diferentes tipos de habilidades.

Astronomia, jardinagem e meteorologia são apenas alguns dos exemplos de ensinamentos que podem ser aplicados em uma escola Waldorf. Logicamente, as matérias tradicionais também são ensinadas.

Além do lado acadêmico, esse modelo visa trabalhar o social, o ético, o físico e o individual. Provas e trabalhos são aplicados como forma de avaliação, porém sem o intuito de notas e pontuações mínimas.

5. Montessoriana

Por último, falaremos um pouco da metodologia montessoriana, criada pela educadora e médica italiana Maria Montessori. Nesse modelo de ensino, as crianças são desafiadas a buscar sua construção e autoformação.

No entanto, os professores precisam ajudá-las nesse processo, colaborando para o desenvolvimento de cidadãos independentes, confiantes, criativos e com iniciativa. Na escola, os estudantes podem escolher as atividades que desejam fazer, sendo a atenção direcionada para o cumprimento das suas obrigações.

Na metodologia montessoriana, o educador é visto como uma espécie de guia, cuja função é eliminar os obstáculos à aprendizagem e isolar as dificuldades do aluno. Por essa razão, deve-se respeitar o ritmo de cada aprendiz, fazendo intervenções específicas e em conformidade com as suas próprias necessidades.

No entanto, todos as crianças são incentivadas da mesma forma: as classes são compostas por estudantes de idades distintas, havendo o importante encorajamento para o trabalho em equipe.

Para promover o aprendizado ainda mais, Maria Montessori desenvolveu diversos materiais, o mais famoso chamado Material Dourado. Em resumo, trata-se de um conjunto de cubos, placas e outros sistemas que contribui para a melhor compreensão dos cálculos matemáticos.

Uma das características mais marcantes desse método é o arranjamento circular da sala de aula. Enquanto algumas escolas fazem avaliações, outras não: não há uma regra quanto a isso.

Para concluir este artigo sobre as metodologias de ensino a considerar antes de escolher uma escola, não poderíamos deixar de dizer que não existe o melhor modelo ou o mais indicado. A atitude correta é optar por aquele que mais se adequa ao que você deseja para a educação dos seus filhos, lembrando que essa escolha pode ter um papel fundamental no que diz respeito à aprendizagem.

Então, gostou deste artigo? Aproveite que está por aqui e assine nossa newsletter! Assim você receberá outros conteúdos relevantes como este diretamente no seu e-mail!

Centro Educacional Logos
Autor

Tudo que você precisa saber sobre educação de qualidade para construir um futuro melhor.

Escreva um comentário

WhatsApp
Compartilhar
Twittar
Email