Nos dias atuais, as escolas têm a missão de, além de repassar o conhecimento, formar cidadãos com pensamento crítico, valores sólidos e que conheçam o seu papel na sociedade.

Para isso, os alunos precisam aprender a distinguir as diversas fontes de informação disponíveis. A partir de então, é possível definir critérios que ajudam a buscar aquelas que são, de fato, confiáveis.

Além disso, é importante saber como correlacionar o conhecimento das diversas disciplinas, relatar os fatos, levantar hipóteses a respeito dos acontecimentos e comparar determinados fatos históricos com a realidade atual. Tudo de forma consciente e independente.

Pensando nisso, preparamos este artigo com as melhores formas de desenvolver o pensamento crítico nas escolas. Boa leitura!

1. Fazer questionamentos

Para incentivar o pensamento crítico nos alunos, é fundamental que a escola compreenda quais são as práticas pedagógicas que despertam nos jovens o desejo de buscar informações e entender o mundo de maneira espontânea e autônoma.

Esse processo acontece lentamente, e o ideal é começar com perguntas encorajadoras. Isso faz com que os garotos entendam a relevância das questões, reflitam acerca dos temas discutidos e possam chegar a conclusões próprias.

Com o tempo, o estudante passa a receber o conhecimento e as informações transmitidas pelo professor de maneira questionadora e crítica, analisando sua aplicabilidade e sentido.

2. Incentivar os debates

Promover debates construtivos em sala de aula também figura como modo de desenvolver um pensamento analítico. Além de ouvir a opinião dos alunos, é importante proporcionar momentos em que eles possam debater e defender seus pontos de vista. Para isso, precisam desenvolver argumentos e justificativas para sustentar as posições.

O debate pode e deve incentivar as controvérsias. Dessa forma, as crianças e os adolescentes têm a oportunidade de repensarem e criarem novas opiniões — sempre respeitando os colegas. Portanto, é primordial propor situações diversas durante as conversas e encorajar que todos demonstrem suas ideias.

Se algum aluno não tiver uma opinião formada, o professor pode pedir que ele ouça os colegas e, no final da aula, diga com quem concorda e por quê.

3. Desenvolver temas atuais

Outra possibilidade consiste em apresentar um tema ou uma questão atual para que os alunos construam argumentos com base nela.

Para enriquecer a reflexão e deixá-la mais relevante, o professor deve oferecer os recursos necessários. Textos, livros ou filmes em que os estudantes possam se contextualizar e se basear são bons exemplos.

Depois, vale ajudá-los a desenvolver o tema, fazendo relações com fatos passados, identificando termos subjetivos ou ambíguos e tornando-os claros e definidos. Essa atitude permite que eles se tornem cidadãos mais conscientes.

Muitas atividades pedagógicas levam os jovens a terem reflexões e a desenvolverem um pensamento crítico de situações que fazem parte do dia a dia. O trabalho dos professores pode envolver, por exemplo, situações-problema que estimulem os alunos a refletir a respeito da complexidade das relações e a elaborar opiniões e possíveis ações.

Gostou do nosso conteúdo? Ficou com alguma dúvida ou quer compartilhar outras maneiras de desenvolver o pensamento crítico nas escolas? Então deixe seu comentário!

Autor

Tudo que você precisa saber sobre educação de qualidade para construir um futuro melhor.

Escreva um comentário